quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Paulo Quintela e Cristóvão de Aguiar, por Bárbara Borges.





















Óleo sobre tela, Bárbara Borges, Coimbra-2006.

4 comentários:

Rui Caetano disse...

Um óleo muito interessante.

peciscas disse...

Um óleo que reune dois nomes grandes da nossa cultura.

carlos disse...

muito bom.quanto podera valer.ha falta de artistas assim.

leitor disse...

gostava de ver outras obras desta artista

Cyrano de Bergerac

Cyrano de Bergerac
Eugénio Macedo - 1995

TANTO MAR

A Cristóvão de Aguiar, junto
do qual este poema começou a nascer.

Atlântico até onde chega o olhar.
E o resto é lava
e flores.
Não há palavra
com tanto mar
como a palavra Açores.

Manuel Alegre
Pico 27.07.2006