sábado, 24 de maio de 2008

25 Olhares de Abril, Coordenação de Carlos Garrido, Prefácio de Maria Barroso, Campo das Letras, 2008. Inclui Crónica do Escritor Cristóvão de Aguiar.

A obra com o prefácio de Maria Barroso e capa de Albino Moura, é assinada por:


Abrantes Raposo, Aida Baptista, Albino Moura, Alice Tomé, Ana Júlia Sança, Artur Vaz, Carlos Cardoso Luís, Carlos Garrido, Carlos Pimenta, Cid Simões, Cristovão de Aguiar, Domingos Marques, Fernando Barão, Fernando Vasco, Gabriela Silva, Ilda Januário, Joaquim Alves Lavado, Jorge Paulos, José Carlos Fonseca, José Nascimento, Kalidás Barreto, Luís Alves Milheiro, Manuel Freire, Manuela Marujo e Maria Luísa Baptista.













25 Olhares de Abril, como o próprio título sugere, é um conjunto de textos de diferentes autores que, dentro e fora de Portugal, relatam a forma como viveram as emoções de uma revolução anunciada. Alguns, pela sua militância e proximidade, sentiram-se actores da mudança; outros, mais distantes, aguardavam expectantes que tudo se definisse.
Porém, e independentemente da visão que cada um tem, todos os autores deste livro se sentem unidos por um sentimento comum – o de que deixam o seu testemunho genuíno e autêntico sobre um acontecimento que mudou a vida de todos os portugueses. Por isso, esta pluralidade de olhares, mais do que uma obra literária, é um documento destinado às futuras gerações, evitando, assim, que se apague a memória dos que viveram e fizeram História.

Carlos Garrido nasceu em Lisboa, em 1944. Viveu na Freguesia do Sacramento até 1972 e, desde então, mora em Almada. É licenciado e doutorado em Economia. Publicou diversos artigos científicos e técnicos em revistas nacionais e estrangeiras, no domínio da análise da conjuntura económica e da economia das catástrofes. Tem publicado crónicas na imprensa regional e nacional. É membro de diversas instituições científicas, culturais e de solidariedade social. Tem prestado colaboração em diversas universidades portuguesas e estrangeiras. Foi assessor no Departamento de Prospectiva e Planeamento até à sua aposentação, em 2004. Actualmente é investigador no Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto e professor de Economia no IADE. Tem publicadas as seguintes obras literárias: "A Lua Vem com a Gente?" (Editorial Escritor, 2003) e "O Pintor de Palavras" (Editorial Escritor, 2005).

Lançamento/ Santarém
Hoje, 24 de Maio 17h30
Sala Multiusos - Centro Cultural Gil Vicente
25 OLHARES DE ABRIL
136 PP. ISBN 978-989-625-288-5 PVP 10.50 €

5 comentários:

Anónimo disse...

Este ano, Cristóvão de Aguiar está imparável!

redonda disse...

Comprei o livro, mas para já só ainda li o texto de Luís Milheiro.

Roseane, disse...

Olá...vim retribuir a visita e conhecer um pouco do teu blog. Algumas dicas e informações sobre Portugal. Legal, gostei. A música também é boa. Tenha um ótimo domingo.

Anónimo disse...

Ainda não chegou às livrarias.

anna disse...

Este blog vale a pena!
Muitos parabéns.

Cyrano de Bergerac

Cyrano de Bergerac
Eugénio Macedo - 1995

TANTO MAR

A Cristóvão de Aguiar, junto
do qual este poema começou a nascer.

Atlântico até onde chega o olhar.
E o resto é lava
e flores.
Não há palavra
com tanto mar
como a palavra Açores.

Manuel Alegre
Pico 27.07.2006