sábado, 11 de outubro de 2008

COIMBRA 2008

ALGUNS FACTOS:
1- "Stand", depósito ilegal de automóveis legalmente inexistente. ABERTO AO PÚBLICO.

2- Instalado em "terreno para construção" Caído do céu (inscrição originária- não proveniente de qualquer artigo) depois de uma expropriação por utilidade pública?
3- Ausência de qualquer licenciamento, quer de edificação, quer de actividade comercial.

4- Cabovisão instalada e licenciada, no interior deste "terreno", nestas circunstâncias pela, Câmara Municipal de Coimbra.

5-Desvio clandestino de águas pluviais provenientes o IC2, directamente para a parede de um posto de transformação de electricidade, em zona de cheia,com manilhamento, sobreposição de terras e asfalto.

6-Não foi instaurado qualquer processo de contra-ordenação aos infractores.

7- Edificação implantada em zona de estrada, quer a nascente - IC2, quer a poente - Câmara Municipal de Coimbra.

8- Elevação do solo em 1,5m e sua total impermeabilização com asfalto em zona de cheia.

9- Remoção de terras, terraplanagem e depósito de entulhos no talude de segurança do IC2.

10- Tudo isto foi e é possível numa zona movimentadíssima da cidade de Coimbra - Estação Velha / Coimbra-B.

11- Atentado ambiental, urbanístico, à segurança, à lei em vigor, aos cidadãos lesados, à cidade e aos munícipes em geral.

6 comentários:

Ana Tapadas disse...

É mesmo para mudar de planeta!

indigena disse...

A imunidade e impunidade dos políticos, em especial dos autarcas, tem conduzido à situação caricata de que alguns deles se candidatem ou recandidatam, para fugir à barra do tribunal. Pequenos déspotas regionais, a quem nem a imprensa local, na maioria das vezes subserviente, consegue fazer mossa. Fiz uma denúncia a um jornal local, anónima por não possuir as provas e os meios suficientes, para que investigassem. Um telefonema, de uma figura destacada da autarquia, para a jovem jornalista, quebrou o anonimato. E matou a notícia...
Mais de trinta anos após Abril de 74, continuamos a dizer: cultura democrática precisa-se!

A.A.
País Real

Carlos Rebola disse...

Caro Lapa

Como é possível situações como esta, tantas vezes denunciadas, mesmo às entidades que dizem defender o ambiente, o bom ordenamento do território, a qualidade de vida dos cidadãos,..., se mantenham sem que haja uma destas entidades que faça a sua função que no mínimo é forçar o cumprimento da lei, pelos aplicadores da mesma?
Não se deve desistir nunca, até que sintam vergonha pela existência destas situações locais que afectam no seu conjunto o bem-estar global, tal como foi referido na conferência do rio em 1998.
É preciso desassossegar as consciências até que acordem.
Força.

Um abraço
Carlos Rebola

Moura ao Luar disse...

Quem pode... faz o que quer, em Coimbra e no resto do país

cognoscitur disse...

IV ENCONTRO DE BLOGUES
UNIVERSIDADE CATÓLICA
MAIS EM: http://vialatina.wordpress.com

Colin Lagan disse...

Hi my friend,

I want to invite you to my blog. Can I have your email? Thanks.

Cyrano de Bergerac

Cyrano de Bergerac
Eugénio Macedo - 1995

TANTO MAR

A Cristóvão de Aguiar, junto
do qual este poema começou a nascer.

Atlântico até onde chega o olhar.
E o resto é lava
e flores.
Não há palavra
com tanto mar
como a palavra Açores.

Manuel Alegre
Pico 27.07.2006